5.6 C
Nova Iorque
terça-feira, dezembro 7, 2021

BLOG | Desenhos da Semana #63

Rate this post


Primeiramente, gostaria de agradecer a todos que acompanham o blog, a página no facebook, instagram, etc. Tem sido uma jornada incrível para mim, melhorei tanto nos últimos anos… e é sensacional poder saber tanta gente simpática que se inspira no meu trabalho e que gosta de seguir. Valeu mesmo, pessoal 🙂

Essa semana aproveitei para traçar mais no outro sketchbook que comprei da Miolito, o pequeno, que eu falei em um post uma vez que queria usar para ser um “companheiro de viagem”. Problema é que não saio muito e quando saio a correria é tanta que não tenho tanto tempo para traçar, hahaha 🙁 mas foi bacana de tentar produzir desenhos mais “complexos” em um sketchbook pequeno, haha.

Vamos lá!

Comecei a semana com um sketch de uma elfa (simples, haha) no iPad.
Continuo usando o Bamboo Paper, por enquanto. Em breve, quero comprar o Procreate! Ouvi falar muito muito do app e parece ser ótimo mesmo! Não vejo a hora de testar 🙂
Mesmo jeito que venho testando: crio um fundo com um tom médio, faço o sketch por cima + sombras num tom mais escuro e iluminação com um tom mais simples.
Sketch finalizado 🙂
Sketch no sketchbook pequeno que comentei. Feito com lápis grafite e lápis pastel branco. Ele mede aproximadamente 14,5 x 11 cm e também faz secção da risca All Kraft da Miolito. Adoro essa risca, haha 🙂
Um estudo de tigre que fiz no sketchbook também. Perdão pela foto péssima, haha. Eu tenho outra mesa escura (onde fica meu PC) e nela não tem muita iluminação… só que porquê eu estava estudando a partir de uma foto porquê referência, costumo permanecer nessa mesa para trabalhar muito o sketch e geralmente as fotos mais finais tiro na outra mesa (branca — onde costumo traçar mais quando faço um pouco mais autoral e sem referência) onde tem uma melhor iluminação. Confesso que ultimamente me empolgo tanto quando estou fazendo qualquer ilustração que não quero nem parar para tirar foto :p
Esse eu quis finalizar no nanquim porque fazia tempo que não fazia qualquer ilustração em nanquim 🙂
O lítico cá é dá para vocês verem um pouco do meu processo quando trabalho com referência: geralmente utilizo exclusivamente para captar uma pose ou para treinar um pouco que nunca desenhei, porquê foi nesse caso. Nunca tinha desenhado um tigre, hehe. E na hora de finalizar, já crio um pouco meu, próprio.
Hoje em dia, quando trabalho com nanquim, aproveito para trebelhar um pouco com a minha caneta dourada também, haha, logo sempre adiciono qualquer pormenor dourado 🙂
Às vezes, dependendo do que quero traçar, também utilizo referência para outros elementos também. Não foi muito o caso desse, já que o fundo foi mais solto, estilo o que costumo fazer com linhas bagunçadas.
Escorço finalizado 🙂

Sempre aconselho a usar referências. Se você for iniciante no ilustração, aconselho muito a tentar reproduzir fotos no início. Ajuda a entender porquê funciona luz e sombra e ajuda a treinar também o ilustração daquele objeto, pessoa, bicho, etc. específico. Fazendo vários, com o tempo você consegue produzir um pouco seu sem referência até. No meu caso hoje uso referência exclusivamente porquê uma base para um pouco que nunca desenhei ou um pouco que preciso praticar e que depois insiro num universo meu, num estilo que eu mesma crio. Isso leva tempo, sabe, logo tem que ter paciência e praticar bastante 🙂

Desvendar seu estilo não é zero fácil. Eu mesma passei anos em procura do meu — porquê vocês podem conferir por cá em posts mais antigos. Já passei pelo do dedo, grafite, lápis de cor, lápis pastel, naquim, aquarela… e no final, quando me identifiquei com o tipo de material que gostaria de usar, foi no nanquim e lápis pastel no papel kraft, além do do dedo, simples, que minhas linhas bagunçadas tomaram forma.

Não desista. Seguir no caminho não é fácil, eu sei… mas vale tanto a pena! 🙂

OBS: uma novidade: criei um Tumblr, haha! Quem quiser seguir cá vai o link: https://nokcturna.tumblr.com

Ah, para variar, fiz algumas modificações no site cá e ali, haha. Senti, também, a premência de dar um término no meu logo velho. Hoje sinto que somente Nokcturna faz mais sentido para mim. Um logo em manadeira tipográfica, bagunçado, solto em contraste com o velho, certinho, milimetricamente desempenado. Não sinto que meu “eu” de hoje se identifica mais com ele.

Nunca imaginei que eu fosse manifestar isso um dia, haha. Meu velho logo foi perfeito durante anos… mas com o tempo sentimos essa premência de mudança. Para uma Designer porquê eu, um logo é extremamente importante, uma extensão do seu próprio eu. Nokcturna faz secção de mim há anos, tanto porquê um nome “artístico” que pegou quanto por fazer secção da minha própria história. Por isso que nos últimos meses eu já vinha testando ele no site, mas chegou o momento de abraçar a teoria, abraçar somente isso: uma manadeira bagunçada que reflete meu trabalho atual, voltado muito mais para a ilustração e para a originalidade solta, ocasião… sem rodeios, sem limites. Livre.

Espero que tenham gostado do post, pessoal! Semana que vem tem mais 🙂

Related Articles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Latest Articles