5.6 C
Nova Iorque
terça-feira, dezembro 7, 2021

BLOG | Desenhos da Semana #51

Rate this post


Olá, pessoal!

No post de hoje, quero falar um pouco mais sobre a valor da imperfeição nos desenhos. É um tema muito importante e necessário, principalmente para quem ainda está dando os primeiros passos na ilustração. Farei isso, porém, no transcurso do post, haha, quero dar exemplos mais claros à reverência 🙂

O sketch inicial que fiz do Vivec. Estava pensando em fazer ele com olhos normais, porquê vocês podem ver cá, mas porquê não gostei de porquê estava ficando, resolvi seguir outro caminho.
Achei que ele ficaria mais místico, mais “divino” com os olhos inteiros coloridos, haha.
Para a pele, porquê falei no post anterior, eu quis fazê-la metade Chimer (segmento dourada) e metade Dunmer (segmento cinza escuro), para ser mais leal ao lore do jogo. Para fazer a segmento dourada, geralmente uso tons de marrom e amarelos claros e médios. No caso do cinza escuro, até comecei no grafite para revelar as áreas de luz e sombra, mas finalizei mais no lápis pastel mesmo — preto e tons de cinzas frios. Para mesclar as cores, usei o pincel velho que comentei nesse post, para quem não leu. Ótima dica aliás para quem não tiver um esfuminho ou outro meio de mesclar. Tem gente que mistura com os dedos também, mas eu particularmente não sabor, haha.
Para fazer a armadura, me inspirei na do Elder Scrolls Online mesmo ao invés de Morrowind. Na foto é mais para vocês verem o que faço porquê base para produzir os efeitos dourados: lápis dourado simples para a base, marrons para as partes mais escuras. São várias e várias camadas de cor para produzir o efeito, isso não só para o dourado, mas para o escorço no universal. E para produzir ainda mais contraste, vou reforçando os tons aos poucos em cada estrato.
Esboço finalizado 🙂
ALMSIVI, finalmente prontos 🙂
Um estudo de coelho que fiz na semana.
Porquê eu nunca tinha desenhado um coelho antes, resolvi buscar algumas referências e tentar para treinar. Foram várias linhas para chegar nesse efeito para produzir o pelo, hehe.

E cá eu entro um pouco com o tema da imperfeição, haha. Quero usar de exemplo o coelho que fiz, justamente por ter oferecido a ele o que geralmente faço em meus desenhos: o perímetro em branco.

De vez em quando me aparecem pessoas questionando e achando inexacto que eu faça esse perímetro branco. Acham exagerado, demais… eu entendo eles, porém faz segmento do meu estilo. É alguma coisa que acabou por permanecer e fazer segmento dos meus desenhos, é o que chamo de imperfeição, haha.

Sempre encorajo as pessoas a buscar um pouco de suas próprias imperfeições no escorço. Por que faço isso? Porque sendo uma pessoa que já desenha há 5 anos, isso foi alguma coisa que entendi unicamente no ano pretérito. Se eu tivesse pensado nisso mais cedo, tenho certeza que teria melhorado ainda mais nos desenhos. A imperfeição é importante porque faz segmento da natureza, faz segmento do que somos. É o que torna cada escorço único, seu. Não se prenda em fazer desenhos perfeitos, enfim, quanto mais você pratica, melhor você fica.

Solte-se, liberte-se.

Cá vai um outro exemplo: um estudo de cervos na floresta. Dá para perceber que o corço no projecto mais próximo está mais detalhado do que os que estão mais distantes, propositalmente, para produzir um efeito de profundidade ao escorço.
Nesse, resolvi usar além das canetas nanquim, um pouco de lápis branco também para revelar as áreas de luz.
São linhas bagunçadas, alguma coisa solto. Proposital. É uma maneira que encontrei de me soltar mesmo, ter alguma coisa meu. Encorajo todos a se encontrarem em sua própria imperfeição. Você verá o quão bom é fazer isso 🙂
Outro sketch solto também. Um rosto em grafite e lápis branco.
Nesse, usei a lapiseira pros tons médio e mais escuros e o lápis branco para a luz.
Nem usei nesses últimos meus lápis pastel branco (Faber-Castell Polychromos), usei um lápis que tenho cá barato mesmo, até porque meu lápis pastel branco está quase acabando, haha. Ainda não achei para comprar avulso, acredita? Está em falta em tudo quanto é loja! Aliás, muitos dos meus materiais favoritos estão em falta… *triste* 🙁

E por hoje é só, pessoal. Espero que tenham gostado e que as dicas os ajudem a se manter firmes nessa jornada maravilhosa que é riscar!

Related Articles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Latest Articles